sexta-feira, 27 de novembro de 2009

Portela do Homem - Carris em pleno Verão



16-08-2009

Foi em pleno mês de Agosto, que mais uma vez subi ao 2º ponto mais alto de Portugal Continental desta feita na companhia dos meus queridos primos e seus respectivos e ainda da minha parceira de sempre, Sandra Macedo...
O dia começou bem cedo (7h00), ainda antes de iniciar a caminhada paramos na vila do Gerês para o cafezinho que tão bem soube, para logo de seguida rumar á Portela do Homem onde iriamos dar inicio a essa longa e estafante jornada.
Começámos bem, com uma boa disposição geral e muitas paragens para contemplar o sempre belo Vale do Homem...Com o passar das horas o calor ia apertando e os primeiros indícios de cansaço iam surgindo nos meus companheiros, foi assim que pouco depois da "ponte do Cagarouço", resolvemos fazer a 1ª paragem para refrescar nas melhores lagoas do Mundo!Obrigado ao Rui pela mariola!
Depois de uns bons banhos e de descançar as pernas la seguimos a nossa caminhada em direcção aos carris, o calor apertou ainda mais, o cansaço era evidente e as paragens apesar de curtas tornaram se mais frequentes...ao chegar ás minas dos carris procuramos uma sombrinha que nos abrigasse daquele sol escaldante junto á represa e toca a dar o merecido descanso ás pernas, e o tão desejado repasto que tão bem nos soube...
Ao fim do almoço não faltaram voluntários para preguiçar á sombra, mas nem todos...Eu, o meu "irmão de sempre" Daniel e a minha mais que tudo Sandra, fomos explorar a zona residencial das minas e ainda parar uns minutos para contemplar a impressionante Garganta das Negras, esses pequenos momentos fazem valer todo o esforço dispendido na subida, e mais importante que tudo...marcam nos para sempre...
A descida foi feita em ritmo acelarado devido á enorme vontade de nos refrescarmos novamente naquela fantástica lagoa e assim foi...Uns bons mergulhos, muita diversão um bom lanche e ala que se faz tarde...
Ao chegar á estrada e apesar do cansaço, ja sentia saundades do dia fantástico que tinha passado na companhia de pessoas espetaculares num dia lindo de verão e como sempre e como não podia deixar de ser...no mais belo cantinho do Mundo...







Fotografia e Texto : David Gonçalves

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Petição "Inibição de taxas de autorização para a prática Desportiva"

Para:Presidente da Assembleia da RepúblicaVimos, solicitar a V. Exa. uma tomada de posição perante a obrigatoriedade de pagamento de taxas, na obtenção de autorização para a prática de actividades associadas ao deporto (alpinismo, escalada, montanhismo, canyoning, entre outras), nas áreas de gestão do Instituto da Conservação da Natureza e da Biodiversidade (ICNB)", estabelecida na Portaria n.º 1245/2009 de 13 de Outubro.

O N Aventuras, Clube de Montanhismo, desenvolve anualmente diversas actividades no Parque Nacional da Peneda-Gerês (PNPG), bem como os seus associados, de forma individual. Sendo este clube uma associação sem fins lucrativos e com parcos recursos financeiros, encontramo-nos impossibilitados de desenvolver o normal das nossas actividades, com a aplicação desta Portaria, que obriga ao pagamento de taxas para a devida a autorização.

Pelos motivos supracitados vimos solicitar a intervenção de V. Exa., junto das entidades competentes, com o objectivo de anular a obrigatoriedade do pagamento das referidas taxas, defendendo as associações desportivas bem como os praticantes individuais das mesmas.

A Direcção



Os signatários

Para Assinar siga este link: http://www.peticaopublica.com/PeticaoAssinar.aspx?pi=P2009N804

A Petição "Inibição de taxas de autorização para a prática Desportiva", para Presidente da Assembleia da República foi criada e escrita pela comunidade N Aventuras Clube de Montanhismo.

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Portaria 1245/2009...uma Porcaria!

Este é apenas o inicio da macacada...para saber um pouco mais acerca desta pouca vergonha que se vive no PNPG, visite: carris-geres.blogspot.com



"Uma leitura mais atenta da já famosa Portaria 1245/2009 que regulamenta as taxas a cobrar pelo Instituto de Conservação da Natureza e Biodiversidade (ICNB), I.P., revela todo o seu esplendor e a forma como foi pensada, e como querem que seja executada.


Esta é uma portaria que 'corta a direito' aplicando-se a "...todas as pessoas públicas ou privadas, singulares ou colectivas, independentemente da forma jurídica que revistam, que solicitem ao ICNB, I.P., a prática dos actos e serviços constantes da tabela..." que lhe é anexa.


Assim, um instituto público financiado pelo Estado, isto é, pelos impostos que todos nós pagamos, irá cobrar os seus actos e serviços que por inerência da sua actividade deve levar a cabo.


Para muitos que possam achar as ridículas reivindicações daquelas pessoas que todas as semanas percorrem as nossas montanhas, e em especial aquelas que se encontram dentro das áreas protegidas, peço que façam um pequeno exercício. Imagine-se um pai de família que decide ir passar um fim-de-semana ao Parque Nacional da Peneda-Gerês. Assim sendo, e por ser um cidadão exemplar e achar que deve solicitar ao ICNB, I.P., a respectiva autorização para percorrer aquele espaço público classificado, envia o respectivo pedido de autorização. Note-se que esta pessoa é por si só um caso muito raro, pois teve o cuidado de pedir a autorização.


Antes de avançar neste exercício, deixam-me citar um parágrafo importante desta portaria. O Ponto 1 do Artigo 6º referente ao pagamento das taxas refere que: "As taxas devidas pelos actos e serviços prestados pelo ICNB, I.P., são pagas no momento da apresentação do pedido." Quem teve este ideia deve ser brilhante, pois a pré-cobrança por si só não garante a autorização. Por não referir nada a este respeito, a não autorização implica a perda automática da taxa pois esta serve para cobrar o serviço e não para obter a autorização.


Assim, o nosso pai de família vai pagar o serviço no qual será analisado o seu pedido. Por sua infelicidade, o pai de família pediu uma autorização para percorrer o Vale do Alto Homem até às Minas dos Carris, coisa que toda a gente faz. Porém, e ao abrigo do actual Plano de Ordenamento do Parque Nacional da Peneda-Gerês, o estradão que liga a ponte sobre o Rio Homem em S. Miguel e as Minas dos Carris, atravessa uma parte da denominada Zona de Protecção Total (ZPT) e como tal não pode ser autorizado o passeio que o pai de família gostava de fazer. Não referi, mas este pai havia pago 200,00€ para que o seu pedido fosse analisado para poder ter a autorização para o seu passeio. Cá entre nós, espero que o pai de família tenha desistido de fazer um passeio por uma zona não sinalizada, pois teria de pagar mais 200,00€ por nova análise.


Por outro lado, nesta altura estou a olhar só para o meu umbigo. Por momentos vou tentar colocar-me na pele de alguém que mora dentro de uma área protegida... mais uma vez dentro do PNPG. Penso que devem saber que a apanha de ramos, pinhas e árvores caídas não é permitida por poder influenciar negativamente o desenvolvimento do meio local. No entanto em minha cada ainda tenho um fogão a lenha. Olhando pela janela de minha casa venho uma encosta na qual florescem muitas árvores (pinheiros, sobreiros, etc.). No solo existem muitas ramadas caídas, além de pinhas e outros produtos. Porém, antes de sair e decidir apanhar esta vegetação caída decido pedir ao ICNB, I.P., a autorização para que possa então proceder à recolha dessa vegetação caída. Notem que as declarações, pareceres, informações (!!!) e autorizações para "...qualquer forma de exploração de recursos naturais ou da floresta, agricultura, pecuária, aquicultura, piscicultura, pesca ou de instalação de explorações ou de viveiros agro-pecuários, silvopastoris, aquicultura ou piscicultura..." é taxada com um valor entre os 1.000€ e os 5.000€. Convém pensar bem antes de ir ás pinhas!!!


São dois dos vários exemplos que se podem dar para exemplificar a profunda injustiça desta portaria que é injusta em primeiro lugar com as populações das áreas protegidas e em segundo lugar com as pessoas que tiram partido dessas áreas protegidas e quando relacionadas com actividades de lazer sem fins lucrativos.


Não é compreensível o timming desta portaria para a discussão do POPNPG e numa fase em que o futuro do nosso único parque nacional está em discussão pública.


Também não é compreensível como se pode taxar serviços que são da competência do ICNB, I.P.. Uma explicação pode estar no seguinte exemplo: actualmente a frota de viaturas do PNPG está na sua maioria parada porque não existem verbas para se proceder a uma simples mudança de óleo, colocação de novos calços de travões ou para fazer uma simples revisão automóvel. O PNPG não tem dinheiro para fazer estas coisas tão simples e o mesmo deve ocorrer com a gestão das restantes áreas protegidas nacionais, compreendendo-se assim a necessidade desta portaria e de arranjar dinheiro a qualquer... preço.


Fazendo eco do que já foi referido noutros blogues e em outros sítios da Internet, acho que é chegada a hora de todos nos juntarmos. Faço desde já um apelo para uma presença em massa na discussão pública do POPNPG que terá lugar no dia 18 de Novembro nas Caldas do Gerês para sabermos que futuro espera o parque nacional e para depois tomarmos uma posição e decidirmos as acções a tomar para que esta portaria seja alterada ou simplesmente revogada."

Texto: Rui C. Barbosa
Fotografia: David Gonçalves

Saudades da Serra...

Nunca mais vem o bom tempo...



Fotografia: David Gonçalves

Dedicado á POR(C)TARIA 1245/2009

Portugal, Portugal
Jorge Palma
Composição: Jorge Palma



Tiveste gente de muita coragem
E acreditaste na tua mensagem
Foste ganhando terreno
E foste perdendo a memória

Já tinhas meio mundo na mão
Quiseste impor a tua religião
E acabaste por perder a liberdade
A caminho da glória

Ai, Portugal, Portugal
De que é que tu estás à espera?
Tens um pé numa galera
E outro no fundo do mar
Ai, Portugal, Portugal
Enquanto ficares à espera
Ninguém te pode ajudar

Tiveste muita carta para bater
Quem joga deve aprender a perder
Que a sorte nunca vem só
Quando bate à nossa porta

Esbanjaste muita vida nas apostas
E agora trazes o desgosto às costas
Não se pode estar direito
Quando se tem a espinha torta


Ai, Portugal, Portugal
De que é que tu estás à espera?
Tens um pé numa galera
E outro no fundo do mar
Ai, Portugal, Portugal
Enquanto ficares à espera
Ninguém te pode ajudar

Fizeste cegos de quem olhos tinha
Quiseste pôr toda a gente na linha
Trocaste a alma e o coração
Pela ponta das tuas lanças

Difamaste quem verdades dizia
Confundiste amor com pornografia
E depois perdeste o gosto
De brincar com as tuas crianças

Ai, Portugal, Portugal
De que é que tu estás à espera?
Tens um pé numa galera
E outro no fundo do mar
Ai, Portugal, Portugal
Enquanto ficares à espera
Ninguém te pode ajudar

Ai, Portugal, Portugal
De que é que tu estás à espera?
Tens um pé numa galera
E outro no fundo do mar
Ai, Portugal, Portugal
Enquanto ficares à espera
Ninguém te pode ajudar

Podem querer nos tirar a liberdade de caminhar livremente, mas não nos podem calar!!!

sexta-feira, 6 de novembro de 2009

O Gerês por Miguel Torga II

Serra!
E qualquer coisa dentro de mim se acalma…
Qualquer coisa profunda e dolorida,
Traída,
Feita de terra
E alma.

Uma paz de falcão na sua altura
A medir as fronteiras:
- Sob a garra dos pés a fraga dura,
E o bico a picar estrelas verdadeiras…

Miguel Torga – Gerês, Pedra Bela, 20 de Agosto de 1942 – Diário II

Águia-real

A águia-real ou águia-dourada (Aquila chrysaetos) é uma ave de rapina diurna da família Accipitridae.



Características
Comprimento: 66 a 100 cm
Envergadura de asas: 150 a 250 cm
Peso: 2,5 a 7 kg
Como em todas as aves de rapina, as fêmeas são ligeiramente maiores que os machos.
Ela alimenta-se de ratos, toupeiras e pássaros.

Reprodução
A época de reprodução inicia-se em meados de Janeiro e prolongando-se até Maio - setembro, podendo variar de acordo com a região geográfica. Cada casal pode ter até 10 ninhos, mas só 2-3 são usados em rotação. Alguns casais usam o mesmo ninho cada ano, enquanto outros usam os ninhos alternando os anos. O mesmo ninho pode ser usado por gerações. O ninho normalmente é construído em um precipício alto, entretanto podem ser usadas árvores se precipícios não estão disponíveis. O local de ninho preferido é onde a presa pode ser avistada facilmente. O ninho pode ser enorme se o local permitir. Alguns ninhos de precipício medem de 2,5 a 3 m de diâmetro por 1 a 1,20 m de espessura. É volumoso e é composto de varas, ramos, raízes, ervas daninhas, e mato. A fêmea é responsável pela maioria da incubação, embora o macho frequentemente ajude. A postura pode ser de 1-4 ovos, no entanto o mais comum é ser de dois ovos. Os ovos são branco sujo e manchas castanho ou castanho avermelhado. A incubação dura 35-45 dias. As crias que nascem primeiro são mais fortes, frequentemente matam os irmãos menores e mais fracos e os pais não interferem. O filhote é dependente de seus pais durante 30 dias ou mais.

Comportamento
Formam casais, e um casal precisa até 55 km de território para caçar. Sua velocidade comum durante o vôo é de 45 a 50 km/h, e foram registados mergulhos a velocidades de 320 km/h para pegar uma presa que avistou. A maioria delas no Alasca e Canadá viajam para o sul no outono quando a comida começa a faltar no norte. Mas nem todas as águias migram; algumas permanecem no Alasca, Canadá meridional e no norte dos EUA.

Habitat
Existe em Portugal, Eurásia, Norte de África e na América do Norte. A área de procriação na América do Norte inclui o México norte-central, os Estados Unidos ocidentais como Dakotas, Kansas e Texas, também o Alasca, e o norte do Canadá. Durante o inverno elas podem ser achadas no Alasca meridional e Canadá, nos oeste dos Estados Unidos e México. São vistas algumas em Minnesota todos os outonos durante a migração e ocasionalmente no rio Mississippi durante o inverno.

Curiosidades
Uma águia pode transportar até 3,6 kg em voo.
A águia-dourada é conhecida por mergulhar para pegar sua presa a velocidades calculadas de 240 a 320 km/h.
Já se viu essa ave capturar aves voadores tão grandes como gansos.
Elas também foram vistas, ocasionalmente, comendo carne putrefata.



Fonte: Wikipédia


Segundo um elemento do ICBN, depois de recentemente esta espécie ter sido dada como extinta no PNPG foram reintroduzidas 6 águia-reais nesta zona, vindo das Astúrias-Espanha, esperemos que desta vez a Águia-Real tenha melhor sorte...

segunda-feira, 2 de novembro de 2009

Citação III

"Existem homens que sobem a estas montanhas apenas pela alegria de viver, pelo gozo da luta, pelo desejo de descobrir o seu mistério, pelo simples prazer de as conhecer." (Refúgio Elola - Gredos)

Ocorreu um erro neste gadget