segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

O Uivo...

O som pode não ser o melhor mas se ouvirem com o volume no máximo e com alguma atenção, vão ouvi-lo vindo do coração da serra o mais belo som que se pode ouvir, um momento único e inesquecível...

video

Video:Raoul Silva
Edição:David Gonçalves

quinta-feira, 15 de novembro de 2012

O Gerês por Miguel Torga VIII





Requiem

Viam a luz nas palhas de um curral,
Criavam-se na serra a guardar gado.
À rabiça do arado,
A perseguir a sombra nas lavras,
aprendiam a ler
O alfabeto do suor honrado.
Até que se cansavam
De tudo o que sabiam,
E, gratos, recebiam
Sete palmos de paz num cemitério
E visitas e flores no dia de finados.
Mas, de repente, um muro de cimento
Interrompeu o canto
De um rio que corria
Nos ouvidos de todos.
E um Letes de silêncio represado
Cobre de esquecimento
Esse mundo sagrado
Onde a vida era um rito demorado
E a morte um segundo nascimento.






Miguel Torga – Barragem de Vilarinho da Furna, 18 de Julho de 1976

terça-feira, 30 de outubro de 2012

Curiosidades sobre Animais - Bufo Real




  • A fêmea é maior que para suportar a perda de peso enquanto incuba os ovos. 
  • Os tufos nos ouvidos não são necessário para a audição. Levanta-os para avisar os rivais de que vai atacar. 
  • Outra curiosidade é que uma vez, um Bufo Real foi visto a transportar uma raposa adulta. 
  • Em muitas culturas, as corujas são vistas como presságio de morte. Uma lenda romana conta que quando o general Agripa foi preso, um Bufo Real pousou na árvore onde ele estava amarrado. Um transeunte disse que ele seria libertado e seria rei de Judéia mas que morreria quando voltasse a ver a coruja. Um dia Agripa olhou para cima enquanto estava no seu trono, viu um Bufo Real e morreu. 

segunda-feira, 29 de outubro de 2012

Citação XVI


“ É bom colecionar coisas, mas é melhor caminhar. Porque caminhar também é uma forma de colecionar coisas: as coisas que a gente vê, as coisas que a gente pensa”.

  Anatole France

segunda-feira, 22 de outubro de 2012

Trilho da Cumeada


19-01-2012

video

É preciso ser algo de muito especial…sim é mesmo especial, tão especial que este trilho que vos vou falar hoje foi feito 2 vezes seguidas num espaço de uma semana…
A vontade de conhecer o trilho da Cumeada já era bem antigo, pode se dizer mesmo, que era um desejo com barbas.
Finalmente tinha chegado o tão desejado dia e bem frio…Subindo pelo estradão que segue até ás Minas do Carris, lá nos fizemos ao caminho tendo na minha companhia Rui Barbosa, João Dias e Leandra Cardoso…
Chegada a altura de atravessar o Rio Homem para o outro lado a subida ao topo da Serra faz se rapidamente por entre a vegetação rasteira num trilho que vai querendo desparecer, teimando em contrariar a vontade daqueles que não o querem perder…
Chegando la cima não há muitas palavras que possam descrever o estado de êxtase que domina o nosso corpo e a leveza que domina a nossa mente, são cenários que captam toda a essência do Gerês com os deus declives acentuados …
Lá de cima sentimos ter por baixo dos nosso pés uma réplica em miniatura do assombroso Vale do Homem, o rio Homem, o trilho que serpenteia serra acima…dali é que se vê bem o que se sobe da Portela do Homem até Carris… é sempre a trepar.
Depois de uma pausa para almoçar seguimos cumeada fora sempre ladeado pelo Vale do Homem que volta e meia se mostra em todo o seu esplendor com paisagens de cortar a respiração, nada aconselhável a quem tiver vertigens…
Depois de uma longa e bela jornada o trilho precipita-se pela mata da albergaria adentro e quando menos esperamos estamos novamente no ponto de partida…
A todos os participantes desta caminhada um muito obrigado pela companhia em especial ao Rui Barbosa por ter sido um guia exemplar…

29-01-2012

video

Pouco mais de uma semana depois o trilho voltaria a ser o mesmo mas com companheiros diferentes, desta vez fazia-me acompanhar de Sandra Macedo, Abel Vieira, Raul Silva e Leandra Cardoso, o trilho foi em tudo idêntico á primeira vez, o frio também mas as sensações sempre novas com pormenores na paisagem que não tinha reparado antes…naquela altura sentia me capaz de fazer aquele trilho todas as semanas…é um trilho de tal maneira arrebatador que nos rouba as palavras e qualquer foto por mais bonita que seja não reproduz nem um décimo daquilo que se vive naquele momento…
A todos aqueles que integraram o 2º grupo um grande abraço e um agradecimento especial pelo companheirismo partilhado naquele dia, a cumeada será daí para a frente um trilho de eleição…o varandim mágico do mais belo cantinho do Mundo…

Texto: David Gonçalves

segunda-feira, 1 de outubro de 2012

Trilho da Calcedónia

Domingo, 8 de Janeiro de 2012


Era a 1ª caminhada de 2012 e o destino escolhido foi a fenda da Calcedónia, só tinha a manhã disponível e por isso foi o trilho escolhido pela sua curta extensão.
A manhã estava fria e pintava todo o cenário de branco, enregelados seguimos encosta acima saindo de Covide em direcção ao alto da Calcedónia. Á medida que íamos subindo o sol ia derretendo o gelo e a paisagem ia se revelando por entre a névoa matinal...
Rapidamente chegamos á entrada da imponente fenda e lá fomos com todo o cuidado necessário trepando até ao final chegar á estreita saída, como coelhos saindo da toca. Ainda assim o desejo de subir persistia, sendo assim resolvemos trepar até ao topo da Calcedónia para melhor aproveitar da paisagem panorâmica sobre as serras Geresianas...e que paisagem!
Foi tempo do café quentinho e de forrar o estômago e ala que se faz tarde...
Na vontade de encurtar o trilho decidimos procurar um atalho, saiu nos pior a emenda que o soneto, andamos a corta-mato, perdemos imenso tempo mas lá demos com o caminho de regresso a Covide...pelo caminho fizemos um amigo (ver a última foto) que nos acompanhou até ao fim...Amigos desses e manhãs dessas meus caros, só no mais belo cantinho do Mundo...

Texto: David Gonçalves











domingo, 2 de setembro de 2012

Gerês23-3 Anos



Já lá vão 3 anos desde que escrevi pela 1ªvez neste blogue e desde aí muitas caminhadas pelas terras do Gerês foram feitas, muitas paisagens e momentos partilhados.
Muitas pessoas se foram cruzando no meu caminho partilhando a mesma paixão, criando assim laços que vão perdurar por muitos mais anos...a todos eles agradeço por todas estas maravilhosas jornadas, que ficarão para sempre gravadas na nossa memória...
Venham mais 3, mais 3 e mais 3...

"Eu fui à Floresta porque queria viver livre. Eu queria viver profundamente, e sugar a própria essência da vida... expurgar tudo o que não fosse vida; e não, ao morrer, descobrir que não havia vivido".

Henry David Thoreau

quarta-feira, 22 de agosto de 2012

PR5 - Trilho Águia do Sarilhão



video


11-12-2011

Com extensão de 9km, esta pequena rota era mesmo aquilo que procurávamos para uma tarde bem passada e de facto não defraudou em nada as nossas expectativas…
O tempo apresentava-se próprio de um dia de inverno, portanto muito pouco convidativo a passeios, ainda assim o apelo da montanha uma vez mais, foi mais forte e um pouco mais agasalhados lá nos fizemos á estrada…

Este trilho torna-se muito interessante não só pelo valor paisagístico mas também pelo legado histórico que esconde por entre o seu manto verde. De referir que passamos numa importante área do PNPG e por locais como a fraga do Sarilhão, a Mata Nacional de Albergaria e pela Geira Romana. Em pano de fundo, em boa parte do trilho pudemos apreciar a espectacular Albufeira de Vilarinho das Furnas naquele dia envolta por um misterioso manto branco de nevoeiro…
Apesar do frio e da chuva que começou a cair a meio do trilho, foi um bocado bem passado e um trilho que fica gravado, para quem sabe num dia ensolarado repetir…Quer queiram, quer não mesmo num dia de inverno este é sempre o mais belo cantinho do Mundo…

Texto: David Gonçalves

segunda-feira, 6 de agosto de 2012

Portela de Leonte - Pé de Cabril


19 Novembro de 2011

Há alturas em que o turbilhão que se chama vida nos envolve de tal maneira que mal sobra tempo para aquilo que mais gostamos de fazer.Por esta altura de Novembro, eu passava por um período desses...
Mal pude ,não pensei duas vezes!Mochila na mala do carro, toca a reunir as tropas e la fomos nos serra acima, com um só desejo...ver o pôr do sol, neste varandim de emoções que é o Pé de cabril...
Um espetáculo singular foi o que assistimos naquele final de dia...o céu ficou doirado e com ele toda a paisagem circundante...Inebriados ainda por aquela paisagem, descemos leves e apressados pois a noite traiçoeira ja se punha e a nossa hora chegara...talvez voltemos em breve, pelo menos o desejo é sempre o mesmo...voltar ao mais belo cantinho do Mundo...

Texto:David Gonçalves
Fotografias: David Gonçalves, Raoul Silva

sexta-feira, 27 de julho de 2012

NÃO DEIXE OS LOBOS SEM ABRIGO!







O Grupo Lobo apela aos sócios, “pais adoptivos”, amigos e fãs para que, todos juntos, possamos continuar o desenvolvimento do projecto Centro de Recuperação do Lobo Ibérico (CRLI). 
O CRLI foi criado em 1987 pelo Grupo Lobo com o objectivo de acolher lobos que não podem viver em liberdade: animais vítimas de armadilhas, de maus tratos e de cativeiro ilegal.
Os lobos que aqui encontram refúgio têm um importante papel na conservação desta espécie, sendo verdadeiros embaixadores dos lobos em liberdade junto da opinião pública motivando-a para a conservação do último grande carnívoro do nosso País.
Todos os anos, milhares de jovens e adultos têm a oportunidade de ver, pela primeira vez um lobo, quando visitam o Centro, sendo informados dos perigos que corre esta espécie ameaçada de extinção em Portugal, ao mesmo tempo que lhes é disponibilizada informação sobre a sua biologia e ecologia.
Hoje, a continuação do CRLI está em risco e depende da aquisição dos 17 hectares de terreno onde actualmente se localiza.
O Grupo Lobo apela a todos no sentido de contribuírem, na medida da disponibilidade de cada um, para a compra destes terrenos tão importantes para este projecto. Qualquer donativo, por pequeno que seja, pode fazer a diferença; todos juntos, podemos permitir que o Centro continue por muitos mais anos a contribuir para a conservação do lobo.
Com a vossa ajuda vamos continuar a nossa missão, dando a conhecer o lobo ibérico, elemento fundamental dos ecossistemas ibéricos, personagem de tantos contos populares, e dando um contributo decisivo para a sua conservação!
Não deixemos que se extinga mais um pouco de Portugal.



AJUDE AQUI:


http://lobo.fc.ul.pt/?page=conteudos%2Fajudar

segunda-feira, 16 de julho de 2012

Os eternos guias da montanha X


Esta mariola localiza-se num trilho que liga a lomba de pau a carris de maceira. Em pano de fundo consegue se vislumbrar o Prado do Vidoal do outro lado do vale...

sábado, 7 de julho de 2012

As Lendas da Ponte da Misarela



«Conta-se que há muitos anos, entre duas aldeias, Frades e Vila Nova, os moradores sentiam a necessidade de construir uma ponte, que serviria de passagem não só para eles mas também para os seus animais.
Após terminar, regressaram satisfeitos às suas casas. No dia seguinte, qual não foi o espanto, quando viram a ponte derrubada. Mas isto não foi motivo para desistirem e logo a reconstruíram novamente. Desta vez, enquanto a construíam, a ponte começou a estalar, a estalar, até que acabou por cair. Então as pessoas disseram umas para as outras:
– Isto só pode ser artimanha do diabo.
E de repente ouviram uma voz alta dizer:
− Nunca conseguireis segurá-la em pé.
Aflitos, correram a contar ao padre da freguesia o que ali se tinha passado. O padre, surpreendido e num tom animador, disse:
– Homens, voltai a reconstruí-la, porque desta vez não vai cair.
Pela trigésima vez, a ponte iria ser reconstruída, mas desta vez o padre acompanhou-os, levando um pão benzido debaixo do capote. Quando foi colocada a última pedra, a ponte começou a torcer-se, dando sinais de que iria cair. Então o padre lançou o pão a rebolar pela ponte e disse:
– Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo.
O diabo, ao ouvir as palavras de Deus, fugiu e a ponte ficou sempre torta como se tivesse o ombro do diabo marcado quando estava a empurrá-la.
Não só aconteceu o milagre do pão como também desde esse dia outro milagre aconteceu: que é o de salvar os filhos das mães que tanto os desejavam e que nunca conseguiram dar-lhes vida, pois estes nasciam mortos após os seis ou sete meses de gravidez.
Uma mulher que já tivesse passado pela situação descrita e estivesse novamente grávida, deveria ir até à ponte da Misarela levando consigo dois acompanhantes e deveriam à meia-noite em ponto estar em cima do arco da ponte. Os acompanhantes teriam de se colocar um em cada entrada da ponte para impedirem que nenhum animal passasse, ainda que fosse um rato, pois se assim fosse o milagre não se realizava.
A mulher grávida e os acompanhantes teriam de esperar em cima da ponte até que alguém passasse para baptizar a criança ainda dentro da barriga da mãe. Para o baptizado, levavam um jarro e uma corda comprida e, quando aparecesse a primeira pessoa, pediam-lhe para ser o padrinho ou madrinha da criança.
Então o padrinho ou a madrinha teriam de cortar ao lado da ponte um ramo de oliveira. De seguida lançava o jarro preso na corda abaixo da ponte e com a água que conseguisse colher molhava o ramo e fazia uma cruz na barriga da mãe dizendo:

Eu te baptizo
em nome do Pai,
do Filho,
e do Espírito Santo.

Se fores rapaz,
teu nome será Gervás;
e se fores rapariga,
teu nome será Senhorinha.

Pelo poder de Deus
e da Virgem Maria,
um pai-nosso
e uma avé-maria.

Após o baptizado, regressavam a casa e dali a nove meses o bebé nascia com saúde. E não só nascia o primeiro filho como também outros que o casal desejasse sem necessidade de um tratamento hospitalar».

Fotografia: David Gonçalves

segunda-feira, 11 de junho de 2012

Arado-Prado da Teixeira


01/01/2011

Há sempre um bom motivo para ir visitar os Prados da Teixeira e quando não há vai se na mesma!!!
Neste caso tinha um bom motivo e como estava a entrar numa fase em que cada vez tinha menos tempo para ir para a Serra, todas as oportunidades tinham de ser aproveitadas...Por essa altura acabados de entrar em Novembro, os dias mostravam se cada vez mais pequenos e como só começamos a caminhada de tarde tivemos de fazê-a numa passo mais ligeiro mas ainda assim deu para retemperar forças e limpar a mente de todos os problemas do dia a dia. A Teixeira lá estava como sempre linda e preparada para receber mais um Inverno que finalmente aí vem...soube a pouco, sim é verdade, mas ainda assim foi bom...como dizia o poeta "vale sempre a pena quando a alma não é pequena" neste caso, vale sempre a pena quando é no mais belo cantinho do Mundo... 








Venha visitar o Gerês e traga muito dineiro consigo!

De que adianta fazer acções promocionais como esta, quando vigoram leis absurdas que nos proíbem de usufruir livremente dos encantos da natureza!
Esta promo está sem dúvida nenhuma muito bem conseguida mas a mensagem permanece incompleta...
Deixem de enganar o Povo!Visitem o Gerês SIM!Mas não se esqueçam de trazer dinheiro nos bolsos porque senão o máximo que poderão ver será o que se vê das estradas do interior dos vossos veículos!

terça-feira, 5 de junho de 2012

Gerês...O maravilhoso mundo das surpresas


Este fim de semana, tive o prazer de por acaso cruzar-me pela serra, com os Amigos Órion e Lírio do blogue Cabra do Gerês. O destino foi alterado e juntos seguimos...Obrigado pelo excelente dia, pela partilha de conhecimentos e pelos bons momentos...São dias como esse que fazem do Gerês, o maravilhoso mundo das surpresas e no sempre mais belo cantinho do Mundo...

domingo, 27 de maio de 2012

Curso de Identificação de Aves de Montanha



O portal avesdeportugal.info vai realizar a 23 de Junho um curso online gratuito sobre a identificação das aves de montanha. A inscrição é obrigatória.

"Neste curso serão apresentadas as várias espécies de aves que podem ser vistas regularmente nas zonas montanhosas de Portugal (nomeadamente nas serras da Estrela, do Gerês e de Montesinho) e serão igualmente explicados, com recurso a conteúdos multimedia, os principais critérios para a sua identificação visual e auditiva no terreno", explicam os organizadores.

Pré-requisitos: Acesso a computador com ligação à Internet de banda larga e colunas (ou qualquer outra forma de ouvir som, uma vez que o seminário será ministrado com voz). Competências básicas de navegação na Web.

Contactos: Email: cursos@avesdeportugal.info

sexta-feira, 25 de maio de 2012

O Gerês por Miguel Torga VII





Devo à paisagem as poucas alegrias que tive no mundo. Os homens só me deram tristezas. Ou eu nunca os entendi, ou eles nunca me entenderam. Até os mais próximos, os mais amigos, me cravaram na hora própria um espinho envenenado no coração. A terra, com os seus vestidos e as suas pregas, essa foi sempre generosa. É claro que nunca um panorama me interessou como gargarejo. É mesmo um favor que peço ao destino: que me poupe à degradação das habituais paneladas de prosa, a descrever de cor caminhos e florestas. As dobras, e as cores do chão onde firmo os pés, foram sempre no meu espírito coisas sagradas e íntimas como o amor. Falar duma encosta coberta de neve sem ter a alma branca também, retratar uma folha sem tremer como ela, olhar um abismo sem fundura nos olhos, é para mim o mesmo que gostar sem língua, ou cantar sem voz. Vivo a natureza integrado nela. De tal modo, que chego a sentir-me, em certas ocasiões, pedra, orvalho, flor ou nevoeiro. Nenhum outro espectáculo me dá semelhante plenitude e cria no meu espírito um sentido tão acabado do perfeito e do eterno. Bem sei que há gente que encontra o mesmo universo no jogo dum músculo ou na linha dum perfil. Lá está o exemplo de Miguel Angelo a demonstrá-lo. Mas eu, não. Eu declaro aqui a estas fundas e agrestes rugas de Portugal que nunca vi nada mais puro, mais gracioso, mais belo, do que um tufo de relva que fui encontrar um dia no alto das penedias da Calcedónia, no Gerez. Roma, Paris, Florença, Beethoven, Cervantes, Shakespeare... Palavra, que não troco por tudo isso o rasgão mais humilde da tua estamenha, Mãe!




Miguel Torga, in "Diário (1942)"

terça-feira, 8 de maio de 2012

quarta-feira, 2 de maio de 2012

Ermida do Xurês-Minas das Sombras

 

 16 de Outubro de 2011 

 Era dia de visitar o lado espanhol do nosso cantinho…dia de voltar a um trilho belíssimo… minas das sombras seria o nosso destino para esse dia… O mês de Outubro já ia a meio mas nem por isso o Verão dava lugar ao outono, sendo infelizmente um dia terrível para aquela zona, em que incêndios destruíam alguns locais de beleza singular que nunca mais voltariam a ser o que eram. O dia estava bonito e apesar de tudo, agradável e o trilho fez se com boa disposição…quando chegamos ás Minas das Sombras já o estômago pedia alguma recompensa e as pernas algum descanso. Depois disso foi hora de explorar o interior da Mina, onde encontramos num ambiente frio e escuro, memórias perdidas de vidas duras …ecos de sacrifícios em busca de uma vida melhor. Na Mina parecíamos estar num mundo á parte, onde as salamandras eram donas e senhoras do espaço e onde o silêncio reinava apenas interrompidos pelo som distante de gotas de água que caiam do tecto húmido… Como que por acaso ainda tivemos a sorte de encontrar uma cache onde deixamos um registo da nossa passagem… De regresso ao exterior, o sol e o calor abraçavam-nos o corpo já esquecido que o Verão persistia em Outubro… De mochilas ás costas o regresso fez se ligeiro, com a expectativa de presentear o corpo cansado no final da caminhada com um banho de agua a escaldar em “os baños”…dito e feito, terminava assim mais um dia no mais belo cantinho do Mundo… 

  Texto: David Gonçalves
















Ocorreu um erro neste gadget