segunda-feira, 3 de novembro de 2014

Caminho Francês de Santiago - Sarria a Santiago de Compostela

Pitões das Júnias - Portela do Homem

Trilho realizado no PNPG, com inicio na pitoresca aldeia de Pitões das Júnias atravessando o território do Parque Nacional Peneda Gerês acompanhando quase na totalidade do percurso a linha da Fronteira entre Portugal e Espanha.

Trilho com uma extensão de 29 kms e uma duração aproximada de 15 horas e de extrema dificuldade passando por 4 dos pontos mais altos naquela zona:

Fonte Fria - 1458 metros
Pico da Nevosa - 1548 metros
Altar dos Cabrões - 1538 metros
Laje do Sino - 1463 metros

Os 4 cumes

Fonte Fria - 1458 metros
Pico da Nevosa - 1548 metros
Altar dos Cabrões - 1538 metros
Laje do Sino - 1463 metros


São Martinho do Campo - São Bento da Porta Aberta

Vídeo resumo dos 26,4 km de peregrinação de S. Martinho do Campo (Póvoa de Lanhoso) até ao Mosteiro de São Bento da Porta Aberta.


---------------------------- São Bento da Porta Aberta ------------------------------


O culto a S. Bento, em Rio Caldo, deve a sua origem à influência dos monges de Santa Maria de Bouro. Em 1640, é construída a primitiva ermida, numa pequena elevação.Segundo a tradição, esta possuía um alpendre, como a maioria das capelas do alto dos montes, e tinha sempre as portas abertas, servindo de abrigo a quem passava... daí lhe terá advindo a designação de S. Bento da Porta Aberta. O actual Santuário é recente. Iniciou-se a sua reconstrução em 1880 e concluiu-se em 1895. São dignos de realce os painéis de azulejos da capela-mor, que retratam a vida de S. Bento, assim como o retábulo de talha coberto a ouro. Devido ao aumento do número de peregrinos, em 1998, foi inaugurada a actual Cripta.

Ao longo dos tempos, muitos milhares de peregrinos têm percorrido, a pé, dezenas de quilómetros em direcção ao santuário de S. Bento da Porta Aberta. Vários caminhos da Fé foram sendo traçados, em conformidade com a região de onde provinham os romeiros. Assim, surgem os caminhos do Formigueiro, das Pontes, de Montalegre, de Vilar da Veiga e de Lóbios, entre outros.

Nestas peregrinações, para além do sacrifício da caminhada, ainda se mantém o costume centenário de se oferecerem grandes quantidades de sal. Este, outrora, era pedido de porta em porta e o peregrino não o podia pousar durante a caminhada.

O costume radica, entre outras tradições, na oferta que os salineiros faziam, incentivados pelos frades, para a ajuda das despesas dos santuários dependentes do Mosteiro de Bouro, entre os quais se contava o de S. Bento. Como estas ofertas eram realizadas em dias de romaria, também outros peregrinos começaram a imitar os salineiros e, assim, o costume se vai espalhando, perdurando até aos dias de hoje

As principais peregrinações realizam-se durante os meses de Março, Julho e Agosto.

In: http://www.sbento.pt/




Ocorreu um erro neste gadget