sexta-feira, 28 de maio de 2010

Salamandra-lusitânica



A salamandra-lusitânica ou saramantiga (Chioglossa lusitanica) é um anfíbio pertencente à ordem Caudata, endémico do noroeste da Península Ibérica. É a única espécie do género Chioglossa. A sua cauda pode atingir dois terços do comprimento do corpo. Se atacadas, estas salamandras podem soltar a cauda por autotomia, regenerando-a posteriormente. Esta espécie tem várias características morfológicas que as tornam adaptadas a ambientes ribeirinhos, reproduzindo-se em refúgios estivais, tais como minas abandonadas. O seu estado de conservação está actualmente definido como vulnerável pela UICN, dada a degradação contínua do seu habitat, e área de distribuição limitada.

Descrição

Possui um corpo estreito e cilíndrico, raramente ultrapassando os 16 cm de comprimento. Tem uma cauda longa, que nos adultos pode atingir dois terços do comprimento total do animal. Os olhos são protuberantes. As patas dianteiras têm 4 dedos e as traseiras 5. A sua cor básica é o preto e têm 2 listas dorsais de cor dourada ao longo do corpo, que se unem, na cauda. A superfície dorsal pode ter pequenos ponteados azulados. O ventre é cinzento. Quando se sente ameaçada tem a possibilidade de soltar a cauda, que é posteriormente regenerada. É o único salamandrídeo ibérico com essa capacidade.

Distribuição

É uma espécie que ocorre em Espanha e Portugal, confinada à área noroeste da Península Ibérica, onde a precipitação é mais acentuada. Na Espanha está presente na Galiza, Astúrias e parte oeste da Cantábria. Está presente na parte norte de Portugal,Parque Nacional Peneda Gerês e a norte do Rio Tejo. A população mais a sul situa-se na Serra de Alvelos.



Habitat

Habita regiões com precipitação superior a 1000 mm por ano e abaixo dos 1500 m de altitude. Os adultos preferem zonas junto a ribeiros de água corrente de zonas de montanha onde ocorra vegetação densa e rochas cobertas de musgo.Preferem ambientes aquáticos com pH ligeiramente ácido. Durante a época mais seca, migram para refúgios estivais, como barragens e minas abandonadas, onde se dá a reprodução.

Conservação

A espécie é considerada vulnerável pelo Livro Vermelho dos Vertebrados de Portugal, integrante da Lista Vermelha do UICN.Como em muitas outras espécies de anfíbios, esta espécie está em declínio principalmente devido à alteração e destruição do habitat, modificação do habitat através de desflorestação e alteração da qualidade da água,intensificação da agricultura, drenagem dos locais de reprodução e devido ao uso local de pesticidas, fertilizantes e outros poluentes. As salamandras-lusitânicas foram também afectadas pelo aumento das monoculturas de eucalipto. A manta morta formada de folhas de eucalipto diminui a quantidade de presas e liberta substâncias tóxicas para as salamandras.
No litoral Norte e Centro de Portugal, a perda da qualidade da água deve-se ao desvio de pequenos ribeiros para uso na rega, e para abastecer zonas urbanas e industriais.
Modelos climáticos prevêem que esta espécie, juntamente com outras espécies de anfíbios ibéricos, diminuam a sua área de distribuição nos próximos 50 a 70 anos devidos às alterações climáticas. Os modelos analisados incluem diminuição da precipitação e aumento da temperatura.

In Wikipédia
Fotografia de Cabeçalho: quercus.pt

sexta-feira, 21 de maio de 2010

Citação VII


"A mais nobre paixão humana é aquela que ama a imagem da beleza em vez da realidade material. O maior prazer está na contemplação."
Leonardo da Vinci

terça-feira, 18 de maio de 2010

Citação VI


"Sobe as montanhas e acolhe as suas boas aventuranças. A paz da Natureza
fluirá para o teu interior assim como a luz do Sol flúi para o interior das árvores.
Os ventos lhe trarão a frescura; as tempestades a sua energia; enquanto as
preocupações se soltam como as folhas que caem das árvores no Outono."
John Muir
Fotografia: David Gonçalves

terça-feira, 11 de maio de 2010

Grupo Lobo


Um projecto muito interessante e de grande importância para esta espécie ameaçada, vale a pena conhecer, divulgar e contribuir para esta causa.
Desde já os meus parabéns pelo prémio BES Biodiversidade 2010...

O GRUPO LOBO, associação não governamental*, independente e sem fins lucrativos, foi fundado em 1985 para trabalhar a favor da conservação do lobo e do seu ecossistema em Portugal. Conta com um vasto número de associados e colaboradores, nacionais e estrangeiros.
A existência do Grupo Lobo resulta da necessidade de divulgar novos factos sobre o lobo, predador que nos habituaram a ver como demoníaco. Hoje em dia estes conceitos estão completamente desactualizados mas, infelizmente, os novos conhecimentos sobre este animal estão pouco divulgados junto da opinião pública.
O lobo é uma das espécies cuja área de distribuição mundial mais tem sido reduzida. Esta situação tem motivado enormes esforços com a finalidade de evitar a sua extinção, pois se não actuarmos de uma forma concreta e positiva, perderemos mais uma espécie animal.
Foi tendo em atenção o que atrás foi escrito, que o Grupo Lobo iniciou uma estratégia cujas áreas de actuação dizem respeito à Informação da opinião pública, ao Apoio a estudos científicos e à Promoção de medidas práticas e conservação.
O GRUPO LOBO colaborou na elaboração da Lei de Protecção ao Lobo Ibérico, Lei n.º 90/88 de 13 de Agosto, que lhe confere o estatuto de espécie estritamente protegida em Portugal, estando actualmente a colaborar na revisão do Decreto-lei n.º 139/90, de 27 de Abril, que regulamenta a sua aplicação. Adicionalmente tem colaborado nos processos de elaboração e revisão dos Livros Vermelhos dos Vertebrados de Portugal, cuja última revisão foi efectuada em 2005 e onde o lobo se encontra classificado como EM PERIGO.

*O GL está inscrito desde 1993 com o nº 55/N no Registo Nacional das Organizações Não Governamentais (ONGA) e Equiparadas, estabelecido ao abrigo da Lei n.º 35/98, de 18 de Julho, a qual que prevê o Estatuto de Mecenato Ambiental, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 74/99, de 16 de Março, atribuindo relevância fiscal aos donativos em dinheiro ou em espécie concedidos às ONGA e Equiparadas.


Para saber mais: http://lobo.fc.ul.pt/

sexta-feira, 7 de maio de 2010

Trilho Interpretativo das Silhas dos Ursos


Sábado 6/02/2010

Esta caminhada fica marcada principalmente pela boa companhia mas também pelas muitas nuvens que prometiam chuva a qualquer momento, coisa que felizmente nunca chegou a acontecer.
Em ritmo calmo lá fomos seguindo o trilho apreciando as paisagens deslumbrantes, gozando daquele silêncio ensurdecedor que nos toma a alma de assalto fazendo da nossa respiração e dos nossos passos sons de destaque, e de repente quase como por magia, olhamos á nossa volta e vemos aquele manto branco a estender se logo ali mais abaixo...estamos acima das nuvens!Seguem-se momentos de contemplação, belos prados,grandes vales e muito verde...é nesses momentos, que como diz o “nosso” João Garcia...”Mais do que aventuras 'homens com montanhas', são aventuras humanas, relações humanas”.
Assim se passou mais uma tarde naquele que mesmo em dias em que não brilha o sol é sempre o mais belo cantinho do Mundo...






quinta-feira, 6 de maio de 2010

PROGRAMA DE EVENTOS E ACTIVIDADES DE VISITAÇÃO NAS PORTAS DO PNPG



Durante os meses de Maio e Junho decorrem nas Portas do Parque Nacional da Peneda-Gerês (PNPG) um conjunto de eventos musicais e de actividades de visitação interpretada. Cada Porta tem um programa específico, realizado em datas distintas, e é preenchido por actividades vocacionadas para o conhecimento e interpretação dos valores culturais e naturais do PNPG. À noite, a animação completa-se com a realização de concertos de música nas Portas do PNPG.

Venha participar nos nossos programas! Conheça o programa detalhado de cada uma das
Portas do PNPG fazendo o download do ficheiro supra-colocado.


A maioria das actividades tem um limite máximo de participação, pelo que é importante efectuar a reserva o quanto antes (ver ficha de inscrição no ficheiro dos programas). Tenha em atenção os horários e o tempo de duração de cada actividade para que não haja sobreposição (algumas actividades realizam-se em simultâneo).


Esta iniciativa é promovida pela ADERE-PG, pelas Câmaras Municipais de Melgaço, Arcos de Valdevez, Ponte da Barca, Terras de Bouro e Montalegre e pelo Parque Nacional da Peneda-Gerês, no âmbito da parceria constituída no projecto “Gestão e dinamização da visitação no PNPG”, aprovado pelo Programa Operacional Regional do Norte (ON.2 – O Novo Norte).

Pograma e Ficha de inscrição: http://www.adere-pg.pt/imgs/noticias/071230_2_5423_Programa.pdf

In: www.adere-pg.pt

segunda-feira, 3 de maio de 2010

“DIA ABERTO” - Parque Nacional da Peneda-Gerês

Ano Internacional da Biodiversidade
- “DIA ABERTO” - Parque Nacional da Peneda-Gerês – 7 de Maio


Integrado nas comemorações do Ano Internacional da Biodiversidade, promovidas pelo Instituto da Conservação da Natureza e da Biodiversidade, o Parque Nacional da Peneda-Gerês promove um “Dia Aberto” subordinado ao tema “Serviços da Biodiversidade” que decorrerá no próximo dia 7 de Maio de 2010. Nesse dia, para além de um ciclo de conferências terá lugar um passeio comentado na Mata de Albergaria, classificada como Reserva Biogenética pelo Conselho da Europa (“Matas de Palheiros/Albergaria”), importante carvalhal que guarda espécies características da flora e fauna do Gerês bem como um troço de Via Romana com vários marcos miliários.



Programa

Centro de Educação Ambiental do Vidoeiro, Lugar do Vidoeiro, 99, Caldas do Gerês.



0945h: Sessão de abertura pelo Dr. Lagido Domingos, Director do Departamento de Gestão de Áreas Classificadas do Norte;

10.00h: A biodiversidade e os serviços dos ecossistemas de Portugal, Prof. Doutor Henrique Miguel Pereira, Centro de Biologia Ambiental - Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa;

10.30h: “Avaliação e monitorização dos ecossistemas e dos seus serviços às escalas regional e local”, Prof. Doutor João Honrado, CIBIO - Centro de Investigação em Biodiversidade e Recursos Genéticos - Universidade do Porto;

11.00h: “As Intervenções Territoriais Integradas um contributo para preservação da Biodiversidade”, Eng.ª Alda Brás, Direcção Regional de Agricultura de Entre Douro e Minho.

11.30h: Debate



À tarde, caso as circunstâncias meteorológicas o permitam, realizar-se-á um percurso pedestre na Mata de Albergaria (duração: 3h; aconselha-se o uso de calçado e roupa adequados) orientado pelos Prof. Doutor Henrique Miguel Pereira e Prof. Doutor João Honrado.



informações e confirmação de presenças: telef. 253 203 484

In: Portal ICNB
Ocorreu um erro neste gadget